A teoria da interseccionalidade também sugere que formas e manifestações de opressão aparentemente discretas são moldadas por uma outra (mutuamente co-constitutiva). Assim, para compreender plenamente a racialização dos grupos oprimidos, deve-se investigar as maneiras pelas quais a racialização se estrutura, seus processos e representações sociais (ou idéias que pretendem representar grupos e membros do grupo na sociedade) são moldadas por gênero, classe, sexualidade, etc. Enquanto a teoria começou como uma exploração da opressão das mulheres negras dentro da sociedade, hoje a análise é potencialmente aplicada a todas as categorias (incluindo status geralmente vistos como dominantes quando vistos como estados independentes).
Esse é um curso que acontece totalmente on line, as participantes podem acessar o conteúdo dentro de sua rotina por dois meses, e contam com o apoio de uma tutoria remota. No final, há certificação de 90 horas.
Ementa:

2- O que é interseccionalidade?
3- Feminismo interseccional
4- Pensamento decolonial na América Latina
5 - Feminismo negro e feminismo interseccional são a mesma coisa?
6- Estudos sobre feminismo negro no Brasil: decolonização e interseccionalidade
7 - O contexto das lutas sociais na atualidade